29.8.13

Em cima de nada

Foto minha


O silêncio fazia parte de uma paisagem de isolamento. Quase não se sentia gente, todos estavam em silêncio. Os pastéis da manhã tinham estado num forno lento e o café não aquecia a vontade de ficar. Tinha feito uma estrada perigosa. Depois de uma noite onde a lua iluminava os grilos, levantou-se com o medo da estrada cheia do pó pisado pelos tractores. Não tinha mais que bagagem pequena. Fugiu com quatro frascos de compota e duas garrafas de licor.

Sem comentários:

Publicar um comentário