27.12.13

Quase nada

Temperatura para escrever palavras. 
Corpo para sentir. 
Hoje, o dia perfeito para quase nada. 
O vento faz o barulho de parar aqui.

Sem comentários:

Publicar um comentário