16.6.12

A melhor cadeira

Teve dúvidas e não agiu. Era importante o silêncio que vinha de alguma sabedoria acumulada nas articulações gastas pelo tempo. Ouviu depois de se ter ouvido e pensou que, primordiais, são as coisas que nos afetam. A certeza de que o silêncio era a melhor companhia. Sabia-os ávidos de palavras, com o desejo na ponta da língua para que as frases soltassem gritos e raivas. Sabia-os prontos porque os sentia inquietos. Aquietou-se e não teve as dúvidas do início. Percebeu que não se fazem perguntas aos que não têm respostas nem se pedem respostas aos que não sabem formular perguntas. Contemplou a cor das flores. Respiração pequena transformou-se e transformou-a. Porque o silêncio é sempre a melhor cadeira quando o cansaço nos invade.

1 comentário:

personne disse...

Belo:)

Enviar um comentário