10.6.12

Pano do pó.

Era uma vez uma mulher e um homem. Davam as mãos todos os dias. Quando ela tirava, da gaveta, o pano do pó, ele proibia-lhe o gesto. Depois endireitavam-se em frente ao que era importante. O pano ficava na bancada. As mãos continuavam perto. Porque os dias todos eram a prova de que o pó não se limpa com os panos que estão nas gavetas.

Sem comentários:

Publicar um comentário