25.3.08

BLOG TRISTE


(Pomar)

Ouvi dizer que tinha um blog triste, sério, cinzento. Precisava de alegrar as palavras e as ideias. Não sei quem disse. Sei que o farei, no dia em que me apetecer ficar ao longe, a olhar para as ideias que mais ninguém quer, a sentir as imagens que mais ninguém vê e a construir as cores que mais ninguém ouve. Eu já tive um blog popular, visitado por muita gente, pessoas que queriam espreitar emoções vividas ou inventadas. Era o tempo das fotografias de homens bonitos e mulheres elegantes, palavras que me saíam dos dedos porque as vivia ou imaginava. Agora tenho um blog triste. Eu sei. As coisas constroem-se quando fazem sentido. Não sou de ficar no mesmo sítio quando uma espécie de vida já me mandou embora. Aqui espera-me a outra vida, a que depende apenas da minha imaginação.

3 comentários:

pm disse...

Se isto é tristeza, eu gosto.

Anónimo disse...

estar triste é apenas um momento
ficar triste: pode passar logo tb
sentir uma dor de slidão de vez em quando é remoer uma dor antiga, sofrer de novo uma dor passada, é abrir uma ferida que ainda nao sarou.
estou triste agora, já estive decepcionada, já vivi melhor mas também já quis morrer. Nao sei o que digo sei apenas o que eu quero dizer.

Corvo disse...

Novelo...
O pragmático me torna dramático, irradia intenções de gestos que não se quedam livres do medo. O drama não é interno nem externo, é um novelo desconhecido, uma variante das intenções completamente aprisionadas pelo pavor do erro. Receio sempre, por isso não vivo, por isso não morro.

http://corvodatestepe.blogspot.com/

Enviar um comentário