8.7.12

Crenças

Era muito bonita, tinha as pernas mais longas do bairro de Alvalade e sorria com os dentes postos em cima de mim. Um dia encontramo-nos na esplanada da Mexicana e ela aproximou-se com o copo na mão, meio bebido pelo batom vermelho:
- Chegaste?
- Há muito. Estive a olhar para os azulejos e percebi que a demora pode ser tempo útil.
- Quando se espera por mim, o tempo é sempre útil, meu querido.
- És tão vaidosa.
-  E convencida de que estou apaixonada.
- Por mim?
- Não, por quem acredito que és.

2 comentários:

personne disse...

Belo!;)

Dobra disse...

Merci bien :)

Enviar um comentário