18.7.12

Grito e silêncio


Foi-se embora no dia 1 de Abril, pareceu-me mentira. Não era. O dia 1 de Abril passou a ser o dia da maior verdade, o momento em que percebi a importância de uma mulher na vida de um homem. Nenhuma. Zero. Finito. Vazio.
A certeza do vazio finito adensou-se agora. Depois de tanto tempo ainda lembro os dias e as noites e os beijos e os gritos. Ela gritava muito enquanto eu lhe dava amor. Um dia disse-lhe que era melhor engolir o amor inteiro do que fazer aquele barulho ridículo. Respondeu-me com mais um grito e eu calei-me.

Sem comentários:

Publicar um comentário