21.2.11

POUCA VIDA

Envelhecimento. Arroz doce ao Domingo. Tempo que passa devagar e gente que ri com esforço. Envelhecimento nas casas com portões e lareiras e quintais e cães e galinhas e limoeiros e macieiras e pereiras e figueiras. Envelhecimento perto da serra e do céu que se vê cinzento com água por baixo.

5 comentários:

-pirata-vermelho- disse...

Que bem!
Que aplcadíssima legenda para este Dubuffet...

tome lá um beijo d'agradecimento pelo gozo que às vezes me dá, de longe

-pirata-vermelho- disse...

Entrevê-se aqui, de súbito, Alvalade com as galinhas e as alfaces no quintal. Não se sabe, não se vê da rua...
a velhice obscura é discreta!

Dobra disse...

Pois que o beijo foi aceite e o agradecimento por tão boa companhia aqui, num blogue pouco comentado mas muito próximo de quem dele tira proveito. Bem Haja, caro pirata!

Uma disse...

Comentar futilidades é bem mais fácil. :)
Daqui leva-se muito mais do que simples comentários.
Obrigada, cara Dobra, por continuar.

Dobra disse...

Obrigada "Uma", pelo seu incentivo e pela sua visita.

Enviar um comentário