3.7.08

MAIS QUE MULHER


Pouco conhecia da sua vida quando, em Lisboa, olhei os quadros e as emoções. Mantive-me ao nível da ignorância. Não é possível dizer de um quadro aquilo que, em essência, manifesta.
No caso de Frida e perante o olhar de quem não viveu como ela, não sentiu e não amou como se, da carne, o sangue jorrasse, fiquei quieta e inquieta. No primeiro caso, porque a sensação nascia de uma alma branda, no segundo, porque de um corpo, horrores se recordavam.
Do sofrimento nascem as mais estrondosas obras.

Sem comentários:

Publicar um comentário