27.5.08

VIÇO


(Graça Morais)

Que saiam de si as mulheres que sentem, nos corpos cansados, o prazer de o serem. Que saiam exaustas do grito e do vinco. Que corram em estradas com meias de seda. Que desçam avenidas em noites despertas e fiquem, para sempre, no lugar que lhes pertence: o da cor, do prazer e do viço.

1 comentário:

Eduardo Aleixo disse...

Tão deliciosa a pintura como o texto. Bonito de ver e de ler. Parabéns.
Eduardo Aleixo

( À Beira de Água )

Enviar um comentário