24.2.09

LEGUMES EM ÁGUA CORRENTE


Alguns dias seis, outros dias sete. Mulheres novas, com a experiência parada e a vida por preencher. Saem de casa com os sacos cheios. Manhã cedo, saias compridas e casacos cor cinza, escondem pernas em botas altas. Pulam para o autocarro com a ideia num almoço partilhado em sala que acolhe profissionais atarefados. Todas as semanas se juntam para falar de comida. Receitas trocadas, bolos de chocolate, frangos assados no Sr. Joaquim do Bairro do Rego e muito apetite. Juntas dividem tarefas, combinam o almoço da semana seguinte e riem de quem se junta para a sopa de feijão que o Bar da empresa oferece. São simpáticas. A sua vontade de comer faz lembrar a vontade de correr para longe, como quem foge de um cão raivoso e veloz.

As mulheres ocupam pausas com interesses culinários diversos, os que lhes ocupam, naturalmente, as vidas. Imagino-as ao final do dia, em casa, perto de um marido barrigudo e rezingão que espera o jantar sentado no sofá, com os filhos de gatas e pingo no nariz a clamarem biberão. As mesmas que, ao almoço, dividem os pratos de plástico, estão ali, em frente a um fogão topo de gama, olhando para o refogado que o marido aguarda a salivar, enquanto coça o bigode e vê o jogo do Benfica. São simpáticas. Umas esperam da vida, sucesso no lar e ordenado capaz de comprar casa em telheiras. Outras esperam poder usar Yves saint Laurent nas festas com casais que organizam aos fins-de-semana.

A dúvida instala-se quando não entendem a crónica escrita pela Maya na revista semanal que compram e folheiam como se não houvesse amanhã. A existência é posta em causa por momentos, quando as imagens dançam nas páginas da Caras. As unhas pintadas de vermelho carmim oferecem-lhes expectativas, prometem-lhes futuro, engendram-lhes sonhos. Nos dias em que são seis, sentam-se umas em frente às outras na mesa rectangular de um refeitório frio. Nos dias em que são sete, a cabeceira é ocupada pela primeira que chega, na ilusão de poder gerir a conversa apimentada e fresca, como os legumes que lavou bem cedo, em água corrente.

In: PnetMulher

2 comentários:

Olivroquenãotinhanome disse...

;D

Henrique Dória disse...

Beleza e inteligência é o que encontramos sempre aqui. Beijos
PS Também sou um apaixonado da Menez

Enviar um comentário