23.7.11

O ESPANTO DA MATILDE

- Tens que subir, Matilde, deixar essa escuridão e esse comodismo fáceis, acreditar em ti e na possibilidade de encontrar um caminho. Não rejeites o desconhecido, podes ficar parada no espaço e no tempo, podes vir a tornar-te cega, podes não conseguir mais que uma vida à superfície. Não queres ver o fundo do mar? Não te apetece voar? Não te interessa perceber para além do que os teus olhos alcançam?
- Desculpe, professora Teresa, eu prometo que vou pensar nisso tudo mas por favor não me confunda ainda mais.

Sem comentários:

Publicar um comentário