2.7.11

TER

Se eu for prisioneira de tudo o que não tenho viverei aflita. O desassossego será imenso. O sono vai-se embora de mãos dadas com o medo de não vir a possuir.
Depois possuo. Tenho. O sono regressa e tudo volta ao princípio.
É eterno o desassossego, enquanto eu pensar que quero ter alguma coisa.

1 comentário:

ana sales pinheiro disse...

ainda bem que há desassossego (e que é cíclico...), querer coisas? e se for querer emoções? querer é estar vivo...:))

Enviar um comentário