26.6.08

RISO SÓ MEU


(Souza Cardoso)

Há dias, parei em frente a uma loja de roupa. Olhei para o manequim escanzelado com olhos pretos e ri-me. Parecia estar a ver alguém desconhecido que se vestia para mim. Ainda pensei entrar para lhe testar os braços, mas achei mais prudente ficar no riso absurdo de um momento só meu.

Sem comentários:

Publicar um comentário